VPF

O VPF (virtual print fee) é o subsídio pago pelo estúdio/distribuidor ao exibidor através da figura do agente integrador do processo de digitalização, papel desempenhado pela Quanta DGT/AAM – Arts Alliance Media.

O modelo foi projetado para ajudar a redistribuir as economias realizadas pelos estúdios ao usar a distribuição digital em vez do antigo modelo que era limitado e oneroso.

Desta forma, os distribuidores se responsabilizam em pagar o VPF por cópia de filme lançado no Brasil, quantia que é utilizada para amortizar a dívida do exibidor pela compra do novo equipamento.

Entre os diversos modelos internacionais para o financiamento da digitalização das salas de cinema, no Brasil, o sistema adotado contou com alguns ajustes devido às peculiaridades de nosso parque exibidor demandou a aglutinação dos processos a um Agente Integrador, este revelou-se o mais adequado no que diz respeito à inclusão do pequeno exibidor, compensando sua fragilidade financeira, exercendo papel fundamental nas negociações com os distribuidores, contratação com os exibidores na locação dos equipamentos, negociação e aquisição dos equipamentos com os fabricantes, instalação dos kits de projeção nas salas de cinema, monitoramento e controle do funcionamento dos equipamentos, controle do recebimento dos pagamentos, do VPF e da amortização do financiamento.